Resenha Crítica: Piratas do Vale do Silício

O filme conta a história do surgimento dos primeiros computadores pessoais criados pelos jovens, Bill Gates (Microsoft) e Steve Jobs (Apple). Os dois eram grandes visionários da época, concorrentes e grandes estrategistas.

Em 1976 foi fundada a Apple por Steve Wozniak. A partir de 1979 foi iniciada a criação que iria revolucionar a parte de hardware e software: a Macintosh. Esse projeto surgiu com as idéias de Steve Paul Jobs, com o desenvolvimento da interface gráfica do primeiro computador da Apple baseada por navegação de ícones, pastas e janelas, tudo acionado por um mouse, o qual foi visto e “absorvido” por Jobs numa demonstração da Xerox. Ao aperfeiçoar este computador e criar o Macintosh, a Apple diferenciou-se e em 1984, lançou o primeiro computador pessoal com recurso de desenho e tipografia, o precursor dos futuros PCs.

A Apple era rival da IBM e em 1977 começa a briga entre Jobs e Bill no lançamento do Apple II. Bill Gates filiou-se as duas empresas e fechou um contrato com Jobs para fornecer programas para o Mac. Quando Jobs percebeu, Bill já havia roubado sua tecnologia ao aprimorar o sistema operacional contido dentro do inovador Macintosh, implantando-o na Microsoft e criando assim o Windows. Esta sem dúvida foi a maior sacada de Bill Gates para concretizar as idéias que pretendia lançar.

Neste filme, podemos ver como grandes empresas como a Apple, a Microsoft e a IBM, são iguais em vários aspectos, pois todas utilizam a mesma estratégia: captar o interesse, vender suas idéias e copiar idéias dos outros.

A Apple começou com Steve e se tornou conhecida muito antes de Bill Gates, mas hoje, ironicamente, a Microsoft que começou em um quarto de hotel e se “apropriou” do sistema da Apple, teve um grande reconhecimento a partir da idéia do Windows, e os PCs se tornaram mais populares que os Macs entre os brasileiros, embora o sistema da Apple funcione melhor.

Portanto, apesar de os dois se “apossarem” das idéias de outros, que também não sabiam como usá-las, eles as aproveitaram de forma muito inteligente, dando funcionalidade e utilidade a projetos estagnados. Tanto Bill quanto Jobs contribuíram significativamente para a criação dos computadores e a evolução da informática, que facilita a vida de todos e é indispensável para qualquer ser do séc. XXI.

Com este filme, percebe-se que Bill Gates, apesar de que não ter agido com ética na época por “copiar” uma idéia, hoje é um dos homens mais ricos do mundo por ser dono da Microsoft e de uma parte da Apple. Porém, ele usou sua astúcia e fez isso na melhor das intenções, contribuindo para uma evolução histórica da tecnologia que tende a se ampliar e se renovar cada vez mais rápido, facilitando a vida de milhares de pessoas.

Por Gaby Sardagna

About these ads

março 26, 2009. Uncategorized.

2 Comentários

  1. Francis replied:

    Aquela velha história nada se cria tudo se copia, mas não se pode tirar os créditos do tio Bill afinal é um dos mais bilionários do planeta por saber explorar melhor a idéia do outro.

  2. ingridy felix replied:

    muito legal essa resenha vai me ajudar e muito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback URI

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: